Uma terra de experimentação para praticar a permacultura

Flor de Gaia é uma propriedade privada  no sul de Portugal, no Parque Natural da Costa Vicentina. Ao longo do rio Mira, a propriedade é de 100 hectares em Parque Natural, dominado por uma densa e saudável floresta sucessiva sem perturbações, que a tornam um importante habitat para inúmeras espécies de plantas e animais, hoje consideradas ameaçadas. A terra tem um lugar muito importante e significativo na bio-região para actividades de vida selvagem. As diversidades da vida transformaram-se num santuário de aves e numa fonte vital de dispersão de sementes para a regeneração de áreas degradadas. Os recursos e diversidades que a terra proporciona tornam-na muito importante para a saúde do ecossistema em que estamos a viver.

Nós extraímos nossa água de dois poços grandes e mantemos um lago de armazenamento artificial. A flora é rica em diversidade, com sobreiros, carvalhos pedunculados, medronheiros, pistachos lenticus, azeitonas silvestres e domésticas, mirtilos, várias Cistas, ameixas e pereiras, Rhams nus, urzes, Phylléreas, alguns eucaliptos, Ciprestes e muitos pinheiros. Idem para a vida selvagem: javali, mongooses, gênero comum, doninha, texugos europeus, raposas, lince (?), Perdiz vermelha, gargantas vermelhas, Jay, cuco, morcegos protegidos, corujas, águias, falcões, cobras etc …

Desde 2017, a associação de gestão desta Terra iniciou um programa de regeneração, plantando árvores, cultivando uma horta, criando caminhos, reabilitando as zonas riperianas, instalando compostos. Algumas galinhas e burros Mambo participam da vida orgânica de Flor de Gaia.

Para chegar a Flor de Gaia, você tem que tomar uma trilha de vários quilômetros levando a um planalto 80 metros acima do nível do mar. Neste planalto é a casa comum (espaço de co-working – cozinha coletiva – secretaria). Você também vai encontrar estacionamento, estábulos e lago. Em seguida, contra o nível do mar: o rio, os poços, o jardim, os pomares, a planície e as duas pequenas casas construídas em casa. Os membros fundadores também construíram dois yurts, construíram uma sauna, investiram em painéis solares, bombas e um sistema de irrigação de rede (este último ponto sendo perfectible …) Após uma década de abandono, os edifícios deste A terra exigiu, e ainda requer, reformas, assim como a finalização de edifícios de armazenamento e estábulos. Enquanto isso, a associação está equipada com 3 belas tendas brancas, uma tenda, uma tenda e uma tenda berbere. Esta logística permite garantir a recepção das formações, os eventos, os cursos de formação e os locais de construção participativos.